Quantos estão lendo agora...

Lendo e ouvindo...

sábado, 2 de outubro de 2010

Uma voz mais alta que causou torpor!




Sua mudança de humor
fingindo estar afetado,
só provoca mais horror
em meus sentimentos velados.
Não entendo como pode,
alguém tendo tudo o que quer
ainda se dizer roubado
dos afetos da mulher,
Às vezes até me arrependo
de tanta canja que dei,
pois se é para reclamar
que fique sem ter ninguém...
Mudar da docilidade
para um gesto tão duro,
não faz parte das coisas
que escolhi pelo mundo,
Ando meio preocupada,
por saber que não aturo,
de um homem só quero flores,
jamais algo que importune.
Me conheço por demais,
sei que vai perder meu amor,
se ele não se retratar rapidinho
e com ardor.
Minha história tão romântica,
não pode ficar mesclada,
mesmo com interferências
que não aceitei, por hora...
Não importa minha idade,
minha história já vivida
se não é pra ser como quero,
não aceito, vivo sozinha.
O que mais prezo é o romance
o doce ar que respiro,
a calma, o envolvimento,
os carinhos e os devaneios.
Mesmo que tenha sido
a primeira vez , chocou,
ainda estou meio lerda,
em meio ao horror que me causou.
E olhe que foi só
uma voz mais alta, nervosa,
que não estou acostumada,
mas convém botar limites,
senão tudo vira desordem.
Com o meu sofrimento,
espero que ele repense
que comigo,
só afeto e doces versos,
o resto dê pra quem aceite.
E não adianta dizerem
que sou infantil,
imatura,
comigo é assim mesmo,
se quiser, que jamais, mude!
(Adir Vieira - 10/08/09)
Fonte da imagem: agora_m.blogs.sapo.pt

2 comentários:

  1. desabafos de mulher
    desabafos de amor
    assim vejo essa crônica
    que não reflete a dor
    reflete a carencia
    a falta de atenção
    reflete o carinho
    o amor e a paixao
    de alguém que é so ternura
    e que se da
    de coração

    ResponderExcluir
  2. é isso mesmo, amiga,
    só uma mulher pode entender a outra.
    E não é que vc acabou fazendo um poema?
    bjs,
    Adir

    ResponderExcluir