Quantos estão lendo agora...

Lendo e ouvindo...

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Vamos preparar a ceia!

Véspera de Natal e os ânimos em polvorosa.
O nosso bichinho interno já nos acorda, lembrando fatos e passagens de outros Natais.
Como num piscar de olhos, ainda na cama, repasso vários e vários deles, com a família reunida.
Lembro do agito geral do dia e do cansaço à noite, para esperar convidados e a ceia.
Lá na casa de minha mãe, foi sempre assim. Lembro que acordávamos muito cedo, para poder dar conta de todos os afazeres. Parecia que éramos uma tropa em serrviço. Uns se encarregavam da casa que precisava, durante todo o dia, ficar arrumadíssima. Um dos irmãos instalava o som no terraço. A outros competia as tarefas na cozinha. Uma das minhas irmãs, vinha cedo para descascar as muitas frutas e preparar a salada. Outra se encarregava de desfiar o bacalhau e de fritar os bolinhos. Mas a feitura dos pratos era obrigação da minha mãe. Ela não deixava que ninguém lhe tirasse o posto. A quantidade era grande, porque lá em casa reuníamos grande parte da família, cerca de trinta pessoas.
Tínhamos hora para colocar a fatiota nova e para aguardar os convidados.
O banheiro naquele momento era concorridíssimo e sempre surgiam discussões a respeito da demora de uns e outros.
Por fim, depois de tanta batalha durante todo o dia, pouca energia sobrava para aproveitar a festa. Mas nos esforçávamos ao máximo para viver aquele dia com muita força. Lembro da energia positiva que nos rodeava e, principalmente, das preces fervorosas que, com grande devoção, fazíamos à meia-noite.
Hoje, busco em mim aquela fé e não a encontro mais. Constato enfim que ela existia por força de tudo e de todos que faziam daquele dia, um dia especial.
Lembro com muita saudade daqueles momentos.
(Adir Vieira - 23/12/10)
Fonte da imagem: conectandobrasileeuropasandragomes.blogspot

Um comentário:

  1. Agradeço a passagem no lidacoelho e as simpáticas palavras.

    Sois companheiros de jornada desde o início da viagem.

    Sois amigos que partilharam e construíram um mundo que me soltou a alma em poesia e sonhos.

    Sereis sempre bem vindos eu vos ofereço minha amizade e respeito.

    Os meus presentes serão estar sempre disponível nestes espaços interculturais.

    BOAS FESTAS

    ResponderExcluir