Quantos estão lendo agora...

Lendo e ouvindo...

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Humildade (Cora Coralina)


"Senhor, fazei com que eu aceite
minha pobreza tal como sempre foi.
Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter
e se perdeu por caminhos errados
e nunca mais voltou.
Dai, Senhor, que minha humildade
seja como a chuva desejada
caindo mansa,
longa noite escura
numa terra sedenta
e num telhado velho.
Que eu possa agradecer a Vós,
minha cama estreita,
minhas coisinhas pobres,
minha casa de chão,
pedras e tábuas remontadas.
E ter sempre um feixe de lenha
debaixo do meu fogão de taipa,
e acender, eu mesma,
o fogo alegre da minha casa
na manhã de um novo dia que começa.”
Fonte da imagem: br.olhares.com

3 comentários:

  1. Esta é uma oração pobre. Se já é pobre porque agradece...?
    Era melhor orar pedindo melhor vida e melhores condições. Vote essa tristeza para longe e reinicie um novo ciclo com mais riqueza interior.
    Pelo menos essa riqueza de alma ninguem lha poderá roubar.

    ResponderExcluir
  2. Pobres materialmente, mas ricos de coração.

    beijos de passarinho!!!

    ResponderExcluir
  3. Entenda meu amigo, não tenha vergonha de ler e reler, mas se abra pra isso, tem muito a ser dito dentre todo o poema.

    ResponderExcluir