Quantos estão lendo agora...

Lendo e ouvindo...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

A ocasião especial de Joana


Joana era uma garota de dezessete anos de idade. Tinha pele morena e grandes olhos castanhos amendoados. Era de uma família de classe média, composta por ela, pai, mãe e tres irmãos menores.
Tudo, materialmente, era difícil naquela família. Coisas inesperadas como ter que mudar de residência a cada seis meses, sem razão aparente, aconteciam com frequência. A cada novo gasto, a renda familiar diminuia e impossibilitava Joana de possuir alguns apetrechos necessários à sua vaidade de moça. Seus sonhos eram sempre povoados dos seus desejos materiais - roupas novas, bijuterias, sapatos vistos nas vitrines das grandes lojas, etc...
Mas, o que mais prendia sua atenção naquela época, era uma camisola rendada, composta com um robe branco de cetim. Ali, dentro daquela vestimenta, Joana se imaginava como uma estrela famosa das telas de cinema. Falava desse seu desejo para todo mundo, inclusive para sua mãe que, costureira que era, estava disposta até a confeccionar um para Joana. De pronto, ela sempre negava, certa de que sua mãe não iria alcançar, na plenitude, o conjunto tal qual imaginava.
Um dia, um telefonema anunciou a chegada em sua casa de uma parenta mais abastada da família da mãe. Questionada sobre com o que poderia presentear seus filhos, a mãe nem pestanejou e repetiu à prima, com pingos e letras, o desejo de Joana.
O dia da visita se apresentou e Joana não cabia em si de contentamento, quando abriu o presente e inexplicavelmente constatou que fazia jus ao seu sonho de tanto tempo.
Aquela caixa enorme foi reverenciada, sem sequer ser aberta, por três longos anos, buscando uma ocasião especial até a data do seu casamento, escolhida para a estréia do presente.
Qual não foi a surpresa de Joana ao experimentar a camisola e perceber que não era tão bonita quanto pensava e que devido a sua mudança de corpo, apertava demais na altura do rendado.
Joana então lamentou não ter dado vazão ao seu sonho e estreado a camisola e o robe no dia em que ganhou.

Aprendeu que se assim tivesse feito, por certo teria vívida em sua memória a lembrança de um momento realmente especial.

"Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial. "

Essa citação de Regina Brett (90 anos) me lembra essa história ocorrida com uma amiga, quando ainda éramos adolescentes.


Fonte da imagem:
aliceprina.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário